VISITAS

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Série de livros sobre Amazônia - RIO BABEL: A HISTÓRIA DAS LÍNGUAS NA AMAZÔNIA - José Ribamar Bessa Freire

José Ribamar Bessa Freire é professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-Rio), e da Faculdade de Educação da UERJ, onde coordena o Programa de Estudos dos Povos Indígenas. Ministra cursos de formação de professores indígenas em diferentes regiões do Brasil, assessorando a produção de material didático. Membro do Comitê Editorial e parecerista de várias revistas especializadas. Escreveu, organizou vários livros, entre os quais Rio Babel - a história das línguas na Amazônia ( 2011-2a. edição), Políticas de línguas no novo mundo (2012), Essa Manaus que se vai (2012), Línguas Gerais - Política Linguística e Catequese na América do Sul no Período Colonial (2003), Os Aldeamentos indígenas do Rio de Janeiro (2009 - 2a. edição), Os índios em Arquivos do Rio de Janeiro (1995-1996) e A Amazônia no período colonial (2008 - 7a. edição), Cem anos de Imprensa no Amazonas (2a ediçao 1990) , além de capítulos de livros e artigos em revistas especializadas no Brasil, Perú, México, Venezuela, França, Alemanha, Itália e Japão. Bessa matém o site: http://www.taquiprati.com.br -   E-mail: bessa_18@hotmail.com

Fonte: Adpatado de Lattes CNPq


_________________________________

Rio Babel: a história das línguas na Amazônia









.

José Ribamar Bessa Freires. Rio Babel: a história das línguas na Amazônia. Eduerj. Ed. Atlantica. 1 ed. 2004. 272 p.





Resenha: Como e quando a Amazônia começou a falar português? O que aconteceu com as línguas indígenas?  Esse livro, originalmente  tese de doutorado em literatura comparada defendida em 2003, contém uma análise da trajetória das línguas na Amazônia brasileira e da situação de contato entre elas, com uma proposta de periodização das diferentes políticas de línguas, destacando a expansão da  LGA – Língua Geral Amazônica no período colonial, e seu declínio no século XIX, em detrimento da língua portuguesa, que se torna, então, hegemônica.


Rio Babel: a História das Línguas na Amazônia
José Ribamar Bessa Freires. Rio Babel: a história das línguas na Amazônia. Eduerj. Ed. Atlantica. 1 ed. 2004. 272 p.




A tese de doutorado que deu origem este livro é disponibilizada aqui

Rio Babel - José Ribamar Bessa Freire

Fonte: http://www.taquiprati.com.br/publicacao.php?ident=1

______________________


José Ribamar Bessa Freire. Rio Babel: a história das línguas na Amazônia. Eduerj. Ed. Atlantica. 2 ed. 2004.280 p. ISBN: 978-85-7511-207-6
  
Resenha: Traça um panorama linguístico da Amazônia não indígena, desconstruindo equívocos e preconceitos. Ao pesquisar sobre os percursos da língua dessa região entre os séculos XVII e XX, o autor pontua interfaces da língua portuguesa com as línguas dos tupinambás e de outros povos da região. Apresenta o nheengatu como a língua geral da região - sobretudo entre os membros da etnia baré -, a qual coexistia com o baniwa, o tukáno e o próprio português.

Fonte: Eduerj

Nenhum comentário:

Postar um comentário